Pular para o conteúdo principal

Blog de Alessandro Abdala

Foi com grande satisfação que recebi a notícia de que o livro  SERRA DA CANASTRA: Refúgio das Aves do Cerrado está entre os 10 finalistas na categoria Economia Criativa, da 60ª edição do Prêmio Jabuti! É raro ver um livro que fala sobre conservação, natureza brasileira e a nossa querida Serra da Canastra na final do mais prestigiado prêmio literário do Brasil, por isso tenho orgulho em compartilhar essa conquista.

Leia mais ...

Talvez a maioria das pessoas ligadas à fotografia e ao birdwatching não saiba, mas além de fotógrafo, guia birdwatching e professor de História também sou designer gráfico, sócio há quase vinte anos da Impacto Design & Comunicação, uma agência especializada em comunicação, criação e impressão, situada em Sacramento MG, cidade onde moro. Na Impacto desenvolvemos soluções de forma prática e descomplicada, buscando um atendimento personalizado em que o cliente participa e acompanha as várias etapas do processo de criação até o momento da impressão. Ao longo de quase duas décadas temos realizado grandes projetos e acumulado experiência para atender nossos clientes de forma eficiente e criativa.

Leia mais ...

18

07 / 2018

0

Neste 13 de julho de 2018 estive no Parque Nacional da Serra da Canastra para participar da cerimônia de reabertura do Centro de Visitantes, lançamento do livro e abertura da exposição "SERRA DA CANASTRA: Refúgio das Aves do Cerrado". O evento contou com a presença dos diretores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio, Instituto Terra Brasilis, guias e proprietários de agências de turismo, brigadistas do Parna Canastra, além da comunidade local de São Roque de Minas e adjacências.

Leia mais ...

Maio de 2008. Eu participava do meu primeiro Avistar. Naquela época já atuava como guia de observação de natureza na Canastra e colecionava registros fotográficos das belezas naturais da minha terra, mas ainda não tinha a dimensão do que viria a se tornar a observação de aves no Brasil e na minha vida em um futuro tão próximo. Durante o evento daquele ano, pela primeira vez conheci pessoalmente um monte de gente, alguns dos quais viriam a se tornaram amigos do peito. Assisti palestras, participei de atividades, lançamentos de livros inspiradores, e me lembro de ter pensado que talvez no futuro pudesse estar de volta àquele evento, quem sabe apresentando o meu trabalho na forma de um livro que falasse de duas de minhas grandes paixões, as av...

Leia mais ...

Os caboclinhos são aves diminutas (medem entre 8 a 12 cm de comprimento) pertencentes ao gênero Sporophila, termo em grego que significa "aquele que gosta de sementes". Esse gênero da família Thraupidae engloba  mais de trinta espécies de aves especializadas em se alimentar de sementes de gramíneas. Dentro do gênero Sporophila, os caboclinhos formam um grupo de  mais de uma dezena de espécies, das quais pelo menos seis tem ocorrência sazonal registrada no município de Sacramento MG.

Leia mais ...

23

01 / 2018

0

Quem está acostumado a fotografar a natureza, principalmente a vida selvagem, sabe que certas espécies não são fáceis de encontrar. Algumas parecem fugir de nós, sempre levando vantagem num jogo de "gato e rato", como os personagens dos antigos desenhos animados. No entanto, mesmo entre as difíceis, existem algumas com as quais temos uma história de sorte. 

Leia mais ...

Comecinho de 2012. Chuva, chuva e mais chuva. Cinco dias escorregando na lama a bordo de uma valente Toyota Bandeirante 1962. Eu era o guia do amigo João Souza em busca de um ícone da Serra da Canastra, a ameaçada e poderosa águia-cinzenta. A Canastra tem disso, às vezes começa a chover e não para. Negras e pesadas nuvens ocupavam permanentemente o céu e despejavam uma torrente diluvial que ameaçava engolir tudo, inclusive a gente. Ficamos encravados, mesmo num 4x4, e fomos arrastados por um trator. Caminhamos encharcados pelos chapadões, cerrados e topos das montanhas, sentindo a chuva e o vento frio na pele, tendo as nuvens literalmente ao alcance da mão. Fizemos grandes registros da fauna do cerrado, olhamos dentro dos sinistros olhos do...

Leia mais ...

22

05 / 2017

0

Há tempos eu buscava um bom registro do lobo-guará (Chrysocyon brachyurus). Embora por vezes já o tenha encontrado, nunca as condições foram propícias para realizar um registro à altura da beleza dessa espécie ameaçada de extinção. Ora estava longe demais, ora arisco demais, por vezes a luz era muito escassa... ou demasido dura, o fundo muito "sujo" ou até mesmo o ambiente por demais "humanizado" como no Santuário do Caraça na Serra do Espinhaço, onde presenciei um belíssimo exemplar do guará que cotidianamente vem assistir a missa do adro da igreja.

Leia mais ...

22

05 / 2017

0

Passei minha infância na roça, entre as décadas de 1980/90, onde as atividades invariavelmente giravam em torno de aventuras na natureza. Andar pelas matas observando toda a diversidade de seres vivos era uma rotina diária. E tinha muito bicho para ver naquelas anos do fim do século passado. Mas de alguns, a gente só ouvia falar, como o mutum (Crax fasciolata). Por vezes ouvi os avós contarem de como eram abundantes na região, como eram presas fáceis para caça e sua carne saborosa. Quando vim ao mundo, porém, séculos de caça indiscriminada haviam cobrado o resultado e não pude, por décadas, conhecer esta ave - antes tão comum - a não ser pelos relatos dos antepassados.

Leia mais ...

22

05 / 2017

0

Quando menino, junto com meu irmão e primos, percorríamos os quintais e pomares das casas da roça sempre assombrados pelo vulto sorrateiro da alma-de-gato (Piaya cayana) esquivando-se fortuitamente por entre as folhagens. Impressionados pelas estórias que ouvíamos, conferíamos a esta ave uma existência quase sobrenatural. Impossível de se alvejar por pedra de estilingue ou de cair em arapuca, era uma presença fiel, mas pouco vista. Sempre habitando a parte mais escura da mata, de onde de tempos em tempos, emitia seu canto de origem onomatopeica: "Chin coã!"

Leia mais ...

22

05 / 2017

0

Jayme Caetano Braun foi um poeta do Rio Grande do Sul, um artista da palavra. A simplicidade de seus versos e a autenticidade de seus textos traduzem a natureza, o cotidiano, a alma e a cultura do povo gaúcho. Jayme também era um payador, um repentista que recita seus versos de improviso, sempre acompanhado de uma guitarra. Esse tipo de arte é comum no sul do Brasil, Argentina, Uruguai e Chile. Deixo aqui uma belíssima composição de Jayme Caetano Braun, que trata de uma das mais conhecidas espécies dos nossos campos gerais do cerrado, a coruja-do-campo, ou coruja-buraqueira (Athene cunicularia).

Leia mais ...

No começo deste mês de julho estive guiando junto com minha esposa Camila, os amigos Vicente Antunes e Denise Cardoso em mais uma aventura fotográfica no Parque Nacional da Serra da Canastra. Apesar de não ser a melhor época para aves, este inverno nos revelou ótimos avistamentos e registros surpreendentes como os da águia-cinzenta (Urubitinga coronata)e o pato-mergulhão (Mergus octsetaceus).

Leia mais ...

22

05 / 2017

0

Tive a felicidade de ver esta foto do Galito receber o Prêmio Vox Populi, no Concurso Fotográfico "Aves Ameaçadas" do Avistar Brasil 2015. A foto premiada foi feita em outubro de 2012, e retrata o galito (Alectrurus tricolor), uma espécie endêmica dos (hoje) quase extintos campos limpos do cerrado brasileiro. O galito é uma ave notável, de tamanho diminuto (12 cm) cujo macho possui uma cauda singular, com as retrizes das penas viradas para cima, o que lhe confere um aspecto semelhante a de uma cauda de avião.

Leia mais ...

22

05 / 2017

0

Nesta semana recebi um exemplar da edição especial do Handbook of The Birds of the Word, onde consta uma foto minha publicada. O HBW trata-se da maior e mais conceituada publicação anual sobre ornitologia e birdwatching do mundo. Editado na Espanha, pela Linx Edicions, esta edição especial, que é histórica, além de primorosas fotografias, traz a descrição formal de 15 novas espécies de aves da Amazônia, com a participação de vários pesquisadores brasileiros.

Leia mais ...

22

05 / 2017

0

Mais de trinta lifers

Birdwatching alessandro

"Lifer" é o termo utilizado pelos birdwatchers para designar uma espécie de ave observada pela primeira vez. O termo deriva de "life list", lista pessoal, em inglês, na qual o observador registra cada nova espécie observada e assim vai construindo a lista das aves vista ao longo da vida. No Brasil, a palavra lifer pode ser usada para contabilizar somente as espécies fotografadas pela primeira vez, como faz o Geraldo Luiz, do interior de São Paulo, a quem tive a grata oportunidade de acompanhar neste final de maio, durante dois dias fotografando aves no Parque Nacional da Serra da Canastra

Leia mais ...

21

05 / 2017

0

Estudando os Sporophilas

Birdwatching alessandro

"Sporophila" é um gênero de pequenas aves da famíla Emberezidae. Patativas, caboclinhos, coleirinhos, curiós e bicudos fazem parte deste grupo. Muito apreciadas por seus belos cantos, e por isso perseguidas como aves de gaiola, algumas espécies do gênero encontram-se hoje em sério perigo de extinção.

Leia mais ...

Saiu mais um vídeo da expedição com as fotógrafas Flavia Costa e Mônica Leme. O filme faz um resumo do primeiro dia de viagem, e mostra as espécies filmadas/fotografadas da cidade de Sacramento até a pousada Portal da Canastra, na entrada do Parque Nacional, passando pelo histórico povoado de Desemboque. Destaques para o papagaio-galego (Alipiopisitta xanthops), papa-moscas-do-campo (Culicivora caudacuta), corruíra-do-campo(Cistothorus platensis) e galito (Alectrurus tricolor), que apareceram logo no primeiro dia, sem nem mesmo termos entrado na área do parque.

Leia mais ...

20

05 / 2017

0

Durante os últimos dias de 2012 estive acompanhando as fotógrafas do Rio de Janeiro, Flavia Costa e Monica Leme em mais uma expedição fotográfica na parte alta do Parque Nacional da Serra da Canastra. Foi uma aventura fantástica, marcada por grandes emoções. Afinal, cruzar cerca de 500 km a bordo de uma valente Toyota Bandeirante, vencendo os obstáculos diversos que as estradas da região apresentam nesta época do ano já é um desafio. Poder observar frágeis e ameaçadas formas de vida, adaptadas a um ambiente inóspito, torna a experiência ainda mais gratificante.

Leia mais ...

20

05 / 2017

0

Belas e ameaçadas

Birdwatching alessandro

Neste finalzinho de novembro guiando os amigos Nelson Cabral e Jaime Cano, de Orlândia e Ribeirão Preto SP, tivemos o privilégio de observar algumas das jóias raras e ameaçadas de extinção que habitam os campos limpos do Parque Nacional da Serra da Canastra. Essas aves são extremamente sensíveis a qualquer alteração no meio ambiente em que vivem, pois se especializaram ao longo de milhares de anos a sobreviver nos campos limpos com capim nativo. Infelizmente a agricultura avança impiedosa. No entorno do parque, aparecem cada vez mais lavouras de soja, milho, batata, pontos de mineração... e os campos nativos vão cedendo lugar às máquinas e a exploração humana. O Parque Nacional da Serra da Canastra constitui um reduto

Leia mais ...

20

05 / 2017

0

Da incerteza, ao triunfo!

Birdwatching alessandro

Neste mês de setembro estive guiando os amigos Rodolfo Eller (Amigos das Aves e COA Sulfluminense), Ricardo Gagliardi, Guilherme Serpa (COA RJ), Daniel Esser, Daniel Santos, Paulo Couto e Luis Henrique (ECOAVIS MG) em uma expedição de quatro dias no entorno do Parque Nacional da Serra da Canastra, no município de Sacramento MG.

Leia mais ...

20

05 / 2017

0

No último dia 18/08, acompanhei os amigos Julio Silveira, Celso Queiroz e Cláudio Frateschi em um passeio rápido pela Serra da Canastra. O grupo partira de Ribeirão Preto e faria um "bate-volta" de apenas um dia, com o objetivo de conhecer o parque e fotografar o maior número possível das espécies de aves da Canastra.

Leia mais ...

20

05 / 2017

0

Neste mês de agosto, pude acompanhar os fotógrafos Gustavo Pedro, Virgígino Sanches e Nei Oliveira em uma expedição fotográfica pela Serra da Canastra. O grupo pratica a fotografia de forma séria e responsável, e com extremo profissionalismo registraram as aves, as plantas,as paisagens e os mamíferos do parque. Apesar dos fortes e incessantes ventos que caracterizam o mês de agosto, foi possível fotografar aves incomuns como o andarilho, o galito, papa-moscas-do-campo, cigarra-do-campo, patativa, casal de urubu-rei e águia-chilena planando juntos, além de outras inúmeras espécies comuns do bioma cerrado.

Leia mais ...

19

05 / 2017

0

Paixão de pai para filho

Birdwatching alessandro

Semana passada estive guiando o amigo Paulo Batista e seu filho Gabriel que desejavam conhecer as aves que habitam a Serra da Canastra. Paulo e Gabriel já conheciam o parque e suas principais paisagens, mas ainda não o haviam visitado com foco em observar e fotografar aves.

Leia mais ...

19

05 / 2017

0

Birdwatchers dinamarqueses em busca do pato-mergulhão

Birdwatching | Pato Mergulhão alessandro

No início deste mês de julho estive guiando um grupo de birdwatchers dinamarqueses que percorre o Brasil contabilizando novos registros ornitológicos para suas life-lists. Depois de visitarem destinos consagrados no Rio de Janeiro, Pantanal, Amazonas e o Parque Intervales no Estado de São Paulo, o grupo chegou à Canastra com um objetivo bem definido: ver o pato-mergulhão (Mergus octosetaceus). Não seria uma tarefa fácil, pois nesta época o pato está nidificando e seus hábitos tornam-se ainda mais reclusos. As baixas temperaturas e os frequentes nevoeiros característicos do mês de julho também contribuem para deixar os bichos em geral menos ativos.

Leia mais ...

19

05 / 2017

0

Quando a chuva é uma aliada

Birdwatching | Serra da Canastra | Urubu-rei alessandro

Normalmente chuva não combina com fotografia e observação de aves. Dias chuvosos costumam ser sinônimo de tédio e espera para os fotógrafos e observadores ansiosos por raios de sol resplandecentes. No entanto, em certas situações a chuva pode ser tornar uma boa aliada na fotografia de natureza. Durante os dias 7 a 11 de janeiro estive guiando o companheiro João Sergio Souza e seu tio José Saturnino em uma expedição fotográfica pelos chapadões naturais da Serra da Canastra.

Leia mais ...

Por diversas vezes eu já havia avistado cruzando os céus de Sacramento uma ave imponente, de cor cinza-chumbo e porte avantajado. Entretanto nunca com a possibilidade de realizar mais que um simples registro fotográfico onde mal podia se distinguir a silhueta da ave. Desta vez porém, foi diferente. Acompanhado pelo biólogo e professor Berto Cerchi, depois de visitarmos a vila histórica do Desemboque, seguimos rumo a uma das mais antigas fazendas do oeste mineiro, a Fazenda Nova Suécia, localizada nos limites do Parque Nacional da Serra da Canastra.

Leia mais ...