MAIS DE TRINTA LIFERS
"Lifer" é o termo utilizado pelos birdwatchers para designar uma espécie de ave observada pela primeira vez. O termo deriva de "life list", lista pessoal, em inglês, na qual o observador registra cada nova espécie observada e assim vai construindo a lista das aves vista ao longo da vida.

No Brasil, a palavra lifer pode ser usada para contabilizar somente as espécies fotografadas pela primeira vez, como faz o Geraldo Luiz, do interior de São Paulo, a quem tive a grata oportunidade de acompanhar neste final de maio, durante dois dias fotografando aves no Parque Nacional da Serra da Canastra.


O japú (Psarocolius decumanus) foi uma das espécies observadas pela primeira vez por Geraldo e Neusa Luiz.
Geraldo, que já contava com uma lista de 238 espécies fotografadas pôde acrescentar mais 30 novos registros à sua life list, e isso em apenas dois dias na Canastra!
Fotografamos o tico-tico-rei-cinza (Lanio pileatus) que por este ângulo revelou as cores vibrantes de seu topete.
Camuflado pelo o capim, entre a névoa do amanhecer, Geraldo fotografa as patativas (Sporophila plumbea).
Geraldo trabalha em parceria com sua simpaticíssima esposa Neusa, que auxilia na localização e identificação das espécies, anotando na caderneta e organizando com carinho cada novo registro feito.

Apesar da época do ano não ser a mais propícia, conseguimos algumas "jóias" do cerrado, desejadas pelos mais experientes observadores de aves, como o tico-tico-de-máscara-negra (Coryphaspiza melanotis), papa-moscas-do-campo (Culicivora caudacuta), patativa (Sporophila plumbea), bandoleta (Cypsnagra hirundinacea), cigarra-do-campo (Neothraupis fasciata), papagaio-galego (Alipiopsitta xanthops), águia-chilena (Geranoaetus melanoleucus) e águia-cinzenta (Urubitinga coronata), entre muitos outros.


A águia-chilena (Geranoaetus melanoleucus) passou planando baixo...
E a poderosa águia-cinzenta (urubitinga coronata) mostrou toda sua exuberância de caçadora rapinante.
No final da tarde, quando a luz já estava escassa, fizemos experiências com a velocidade do obturador, como com esse grupo de chopins.
Foi muito gratificante ver Geraldo e Neusa trabalhando em perfeita harmonia em um ambiente tão singular como os chapadões e campos floridos da Canastra.

Geraldo e Neusa Luiz, mostrando que a observação de aves é uma ótima atividade para ser praticada a dois.
Além das maravilhosas espécies registradas, fica o exemplo de que o birdwatching é uma atividade fantástica, que pode ser praticada por todos, inclusive casais, como Geraldo e Neusa, que já descobriram os encantos da observação a dois.