Pular para o conteúdo principal

Mais de trinta lifers

22 / 05 / 2017

Birdwatching alessandro

O japú (Psarocolius decumanus) foi uma das espécies observadas pela primeira vez por Geraldo e Neusa Luiz.
O japú (Psarocolius decumanus) foi uma das espécies observadas pela primeira vez por Geraldo e Neusa Luiz.

 

"Lifer" é o termo utilizado pelos birdwatchers para designar uma espécie de ave observada pela primeira vez. O termo deriva de "life list", lista pessoal, em inglês, na qual o observador registra cada nova espécie observada e assim vai construindo a lista das aves vista ao longo da vida.

No Brasil, a palavra lifer pode ser usada para contabilizar somente as espécies fotografadas pela primeira vez, como faz o Geraldo Luiz, do interior de São Paulo, a quem tive a grata oportunidade de acompanhar neste final de maio, durante dois dias fotografando aves no Parque Nacional da Serra da Canastra.

Fotografamos o tico-tico-rei-cinza (Lanio pileatus) que por este ângulo revelou as cores vibrantes de seu topete.
Fotografamos o tico-tico-rei-cinza (Lanio pileatus) que por este ângulo revelou as cores vibrantes de seu topete.

 

Geraldo, que já contava com uma lista de 238 espécies fotografadas pôde acrescentar mais 30 novos registros à sua life list, e isso em apenas dois dias na Canastra!

Camuflado pelo o capim, entre a névoa do amanhecer, Geraldo fotografa as patativas (Sporophila plumbea).
Camuflado pelo o capim, entre a névoa do amanhecer, Geraldo fotografa as patativas (Sporophila plumbea).

 

Geraldo trabalha em parceria com sua simpaticíssima esposa Neusa, que auxilia na localização e identificação das espécies, anotando na caderneta e organizando com carinho cada novo registro feito.

Apesar da época do ano não ser a mais propícia, conseguimos algumas "jóias" do cerrado, desejadas pelos mais experientes observadores de aves, como o tico-tico-de-máscara-negra (Coryphaspiza melanotis), papa-moscas-do-campo (Culicivora caudacuta), patativa (Sporophila plumbea), bandoleta (Cypsnagra hirundinacea), cigarra-do-campo (Neothraupis fasciata), papagaio-galego (Alipiopsitta xanthops), águia-chilena (Geranoaetus melanoleucus) e águia-cinzenta (Urubitinga coronata), entre muitos outros.

A águia-chilena (Geranoaetus melanoleucus) passou planando baixo...
A águia-chilena (Geranoaetus melanoleucus) passou planando baixo...

 

E a poderosa águia-cinzenta (urubitinga coronata) mostrou toda sua exuberância de caçadora rapinante.
E a poderosa águia-cinzenta (urubitinga coronata) mostrou toda sua exuberância de caçadora rapinante.

 

No final da tarde, quando a luz já estava escassa, fizemos experiências com a velocidade do obturador, como com esse grupo de chopins.
No final da tarde, quando a luz já estava escassa, fizemos experiências com a velocidade do obturador, como com esse grupo de chopins.

 

Foi muito gratificante ver Geraldo e Neusa trabalhando em perfeita harmonia em um ambiente tão singular como os chapadões e campos floridos da Canastra.

Geraldo e Neusa Luiz, mostrando que a observação de aves é uma ótima atividade para ser praticada a dois.
Geraldo e Neusa Luiz, mostrando que a observação de aves é uma ótima atividade para ser praticada a dois.

 

Além das maravilhosas espécies registradas, fica o exemplo de que o birdwatching é uma atividade fantástica, que pode ser praticada por todos, inclusive casais, como Geraldo e Neusa, que já descobriram os encantos da observação a dois.